Yo yo folks.. Whats the crack? (kkk..)

Bem pessoal, só quem é piloto sabe o quanto três palavras juntas ferem: erro de piloto. Infelizmente desvios ocorrem corriqueiramente nas operações. E não obstante, ocorrem por motivos banais. A FAA lançou um edital muito interessante sobre o assunto, e eu não poderia deixar de comentar. O edital coloca em passos essenciais, que configuram novos hábitos para que o piloto possa evitar alguns desvios, que resultam em atividades limiares ao risco latente.

Planeje cada voo

Folks, sinceramente? Dá até vergonha de ler isso como o primeiro item. Poxa, aprendemos desde a primeira aula de navegação que os voos devem ser planejados. Quando falamos de empresas aéreas, temos os pilotos que não voam, os D.O.Vs.. Mas em aviação de menor parte, é nossa obrigação moral planejar nossos voos com exclusividade. Eu pessoalmente, aproveitei os recursos do aplicativo Evernote, para criar um airport briefing pessoal. Nele, coloco informações inerentes a pista, a meteorologia encontrada nos voos, a obstáculos, e até mesmo risco de ilusão visual. Mas isso não me isenta de checar NOTAMs e outras informações para averiguar a aderência das minha anotações empíricas, com a realidade atual.

Um bom planejamento de voo vai te dar o maior presente que um piloto pode receber: (um headset Bose A20) consciência situacional. Isso faz com que coisas corriqueiras como variações de proa, erros de procedimento, e até mesmo variações de altitude sejam evitadas. Não deixe de conferir as mudanças de condição meteorológica, ou mesmo as cartas em voo. E por favor, não vem com essa ladainha de ‘é impossível checar as informações meteorológicas tão em cima da hora’. Vivemos em uma era onde todo mundo tem um smartphone e pode checa-las até mesmo em voo. Se você é daqueles que não gosta de tecnologia… shame of you! Você pilota um dos maiores avanços tecnológicos de todas as eras..

Converse e Coordene

Uma boa comunicação com os ATCs tem seus benefícios. Um voo bem coordenado, e feito da maneira correta, sem rodeios resulta em um trabalho cumprido com excelência e um voo mais seguro. Mas o segredo da coisa é: tome notas. Anote altitudes, proas, velocidades, procedimentos e autorizações. Isso fará com que seu gerenciamento de voo se torne muito mais efetivo.

Na hora do read back, repita as instruções exatamente como recebidas, sem se esquecer do seu call sign. Porque? Simples… Acontece frequentemente de outro piloto tomar as instruções pra si. Agora pasme: uma das recomendações da própria FAA é usar o autopilot (ap). Pois é!? Também estranhei.. Já que eles são os que mais falam sobre o tal do ‘back to the basics‘. Mas não deixo de concordar. Cada vez mais viramos bons gerentes, gestores de sistemas. Agora, o uso do AP tem lá seus riscos, como um mal funcionamento. Por isso, pare com as selfies, e monitore a altitude e proa constantemente.

Esteja atento, até mesmo no solo

Pilotos erram muito em solo. Buscarei informações estatísticas a respeito, mas por própria experiência sei que esse número é assustadoramente grande, e poderia ser facilmente evitado. Para isso, planeje sua rota chocks to chocks, incluindo a observância e estudo dos diagramas aeroportuários. Em outras palavras? ‘Dá pra ver a abençoada carta, parça!?’ Ouça atentamente também as suas instruções. Tenha absoluta certeza que as entendeu, e questione antes de se mover.

Acontece sempre de irmos para aeroportos onde não estamos familiarizados. Eu pessoalmente tenho o hábito de pedir dica para amigos que operam esse aeroporto, para saber como são as coisas por lá. No Brasil é muito comum ter pessoas, objetos, animais na pista. Agora, (kkkk) tu acha que no pátio será diferente?

O segredo da coisa é manter um cockpit estéril, abaixo dos 10 mil pés, e até mesmo em solo até a parada. Conversas podem restringir seu foco no taxi, e causar inclusive uma incursão de pista. (Ué, mas só passei alguns centímetros a barra de parada… | Ainda sim conta mané…) Todo seu foco deve estar no taxi, rota, sinais e marcações, além de é claro, manter a escuta do ATC. Não invente a moda de mudar as frequências de radio enquanto se movendo. No seu planejamento esteja atento a taxiways ou pátios fechados.

Dica final:  Nenhum piloto precisa ser extremamente talentoso para ter sucesso, ou mesmo fazer seu voo seguro. Tudo o que você como piloto precisa, é mesmo tendo um número impressionante de coisas a fazer, estude a si mesmo e seu ambiente operacional para descobrir a melhor maneira de trabalhar de forma produtiva, com pensamento claro e uma sensação positiva de sereno controle. Este modelo corporativo se tornou um estilo operacional decisivo exigido dos profissionais bem sucedidos e com elevado desempenho. Não existe pano preto pra quem lê manual. 😉

Se curtiu o texto, curte nossa página no Facebook.

Free WordPress Themes, Free Android Games