Chequei o Piloto Privado... E agora? - Aeroagora

Yo Folks!

Gostaram do visual novo? Espero que sim! Nosso site está passando por mudanças bacanas, e coisas bem legais vem por ai. Bem, o post de hoje é para aqueles que estão passando por um dilema semelhante ao meu: términos de fases de treinamento. Como você sabem, eu chequei recentemente minha carteira de PPA. Mas e agora? Óbvio, faça o piloto comercial, certo? Bem, nem tanto. Na realidade eu tenho formado em mim uma concepção do piloto que quero ser. Na carreira de aviação vale muito o que os outros acham de você, mas o que define seu voo, é quem você sente que você é. Por isso, algumas dicas:

 

Analise quais ‘fixos’ não atingidos devem seguir no planejamento

Todos nós temos (e devemos ter) planos. Gosto de pensar que desejos, como o desejo de ser piloto de um Boeing 777 são intenções meramente superficiais. Sonhos, planos, são projetos de vida. Desejos não resistem ao calor dos problemas, enquanto um bom planejamento feito de metas (ou fixos..rsrs..) próximas(os) é essencial para sua realização. Mas e se não der certo? Bem comando, a vida é aquilo que acontece enquanto você está fazendo outros planos ou cumprindo uma navegação rumo a seu sonho. Por vezes haverão turbulências, ou mesmo desvios na rota. O importante do planejamento e do briefing de carreira, é que você já sabia que encontraria algumas dessas dificuldades, e ai meu caro… é o segredo da coisa. A mentoria de amigos que chegaram aonde um dia você quer estar é essencial.

 

Defina os objetivos e formas de alcançá-los

Não há ninguém melhor do que a Bruna Surfistinha para realizar planos. Quem assistiu o filme interpretado por Débora Secco, deve se lembrar da cena final onde ela planeja o que ela quer se tornar: “Eu vou parar de fazer programa, quero casar, ter filhos e todas essas coisas que todo mundo quer. Mas antes eu preciso juntar uma grana pra ficar tranquila. Vou trabalhar mais seis meses, isso dá entre 700 e 800 programas.” Take it easy! Não é pra você sair por ai dando seu ‘Harrison Ford‘. Mas a definição de uma meta tangível, nem próxima nem distante, contribui e muito para mudanças. Por exemplo:

“Quero checar o piloto comercial. Pra isso (farei 5.000 softwares) trabalharei por cerca de 6 meses para juntar R$7.500 e comprar as 20 horas iniciais do treinamento. Após isso, fazei ao menos uma navegação de 3 horas por mês, e devo checar em até 20 meses ou 1 ano e meio.”

A divisão de um plano gigante em partes tangíveis, é a melhor maneira de realizar o que você quer. Se possível, desenvolva também um quadro de visualizações, um espaço no seu quarto ou escritório, onde você visualizará diariamente o porque você está fazendo aquilo.

 

Saiba no que dependerá de você e dos outros

As vezes, as coisas não contribuem pra realização do que queremos da maneira que queremos. Pode ser a distância, pode ser a indiferença daqueles que nos assistem. Então por isso, é importante você ter em mente que ficar desmotivado não é opcional. Vai acontecer, mas você tem que estar preparado pra isso. Sair culpando a todos não ajudará em nada, mas a entenda que nem tudo depende exclusivamente de você. Uma simples variação econômica fará o preço do combustível subir, aumentando o preço das horas de voo, fazendo com que você tenha que desembolsar mais. Muitas vezes você não pode fazer isso, já está no limite de budget não é?

Por isso, não se culpe. Seja mais flexível, e volátil. As vezes, você pode fazer algum trabalho secundário.

 

Duque, mas eu já chequei tudo.. E agora?

Meu caro, eu acredito que aviação é um estudo contínuo. Você fez tudo no aeroclube? Ou fez uma faculdade? Na primeira opção, busque cursos que ampliem sua experiência profissional, como por exemplo Upset Recovery, CRM, ou algo do gênero. Fez uma faculdade? Procure o mesmo.. Mas também avalie a opção de uma pós-graduação. Conhecimento é vida na aviação.

Até a próxima.

Free WordPress Themes, Free Android Games