BELO HORIZONTE – Em 9 de abril de 1967, ocorreu o primeiro voo do Boeing 737-100 com Brien Wygle e Lew Wallick comandando a aeronave. O avião decolou de Boeing Field, em Seattle, e voou por 2 horas antes de pousar no Paine Field, em Everett, Washington. O 737 foi projetado para voos de curto alcance para complementar o Boeing 707 e o Boeing 727.

LEIA TAMBÉM: Nas asas da história: a bela história dos Electras na Ponte Aérea 

A Lufthansa foi a primeira companhia a fazer pedidos do B737 em 19 de fevereiro de 1965, encomendando 21 aeronaves, com um custo total de US$ 67 milhões. Após uma negociação com a alemã, a Boeing decidiu aumentar a capacidade da nova aeronave para 100 assentos. Em 5 de abril de 1965, a fabricante recebeu um pedido da United Airlines para 40 aeronaves, a companhia queria um avião um pouco maior do que a versão original.

A Boeing, atendendo o pedido da United Airlines, aumentou a fuselagem em dois metros, A versão mais longa foi designada como 737-200, com a versão original designada como 737-100. Brien Wygle de 92 anos, comandante do primeiro voo do Boeing 737, disse que há 50 anos, eles não teriam ideia do sucesso da aeronave. Ele e os demais colegas de trabalho esperavam eventualmente vender o suficiente para encerrar o projeto. Para acelerar o desenvolvimento, a Boeing utilizou 60% da estrutura e dos sistemas do Boeing 727 para a nova aeronave.

O motor escolhido foi o Pratt & Whitney JT8D, um turbofan de baixo desvio, fornecendo 14.500 libras de empuxo, decidindo montar um estabilizador horizontal na fuselagem, ao invés dos estabilizadores em formato de “T”, como eram usados no Boeing 727. A versão 737-200 fez seu primeiro voo em 8 de agosto de 1967 e foi certificada pela Administração Federal de Aviação (FAA) em 21 de dezembro de 1967. Seu primeiro serviço comercial foi realizada pela United Airlines em 28 de abril de 1968, partindo de Chicago para Grand Rapids.

SÉRIE CLASSIC 

Na década de 1980, a Boeing lançou as versão 737-300, com maior capacidade de passageiros e novos motores CFM56-3B2 turbofan que produziam cerca de 22.000 libras/força, produzidos pela CFM International Jet Engines. O exemplar foi projetado para transportar até 149 passageiros naquela época. Sua autonomia é de 2.950 milhas náuticas, cerca de 5.463 km. O primeiro voo foi realizado em 24 de abril de 1984 e a Lufthansa foi a primeira empresa a voar e adquirir a versão Classic.

Foto: Phil Broad

Em 19 de fevereiro de 1988, foi a vez do Boeing 737-400 voar pela primeira vez. O modelo foi projetado para transportar entre 146 a 159 passageiros, com capacidade máxima para 189 passageiros. O exemplar 737-400 ganhou um motor mais potente produzida pela CFM produzindo cerca de 23.500 libras/força. Após sete meses de testes de voo, entrou em serviço com a Piedmont Airlines em outubro do mesmo ano.

Foto: Ottosen Photography

Fechando os anos 80 com estilo, a Boeing realizou o primeiro voo do B737-500 em 30 de junho de 1989, o menor da série “Classic”, projetado para transportar entre 108 a 122 passageiros, foi equipado com motores CFM56-3B1 que produz cerca de 20.100 libras/força, aumentando em 25% a economia de combustível. A versão -500 foi oferecida para substituir a versão -200, permitindo que rotas mais longas com menos passageiros sejam mais econômicas. O comprimento da fuselagem da versão -500 é 48 centímetros maior, em comparação com a versão -200. A Southwest Airlines, com um pedido para 20 aeronaves, voou pela primeira vez em 30 de junho de 1989.

Foto: Stein Olsen

NOVA GERAÇÃO 

No inicio da década de 90, a Boeing, incansavelmente, começou a produzir a série 737 Next Generation (NG), anunciando os novos modelos em 17 de novembro de 1993. Esta versão possui as variantes -600, -700, -800 e -900. O desempenho é semelhante ao de uma aeronave nova, porém, conservando as características das versões anteriores. Os novos jatos, tiveram suas asa redesenhada com um perfil aerodinâmico, aumentando 4,9 metros a sua envergadura, tendo um motor mais silencioso e uma economia de 30% de combustível.

O 737-600 voou pela primeira vez em 22 de janeiro de 1998. A Scandinavian Airlines foi a lançadora do modelo. A empresa fez um pedido de 35 aeronaves para sua frota. O exemplar tem suas medidas idênticas ao B737-500 e foi concedida a certificação FAA em 18 de agosto de 1998.

Foto: wilco737

O primeiro voo do 737-700 foi realizado em 9 de fevereiro de 1997 com os pilotos Mike Hewett e Ken Higgins, sendo entregue a Southwest Airlines em dezembro de 1997. No Brasil, a GOL Linhas Aéreas recebeu o seu primeiro jato em 2001, com o prefixo PR-GOE.

Foto: Roger S. Rodrigues

Já o 737-800 voou pela primeira vez em 31 de julho de 1997. A fabricante começou a oferecer a opção de winglets feitos de carbono grafite para o modelo em fevereiro de 2000. No Brasil, a VARIG foi a primeira a utilizar o modelo. A GOL Linhas Aéreas recebeu o seu primeiro 737-800SFP (Short Field Perfomance) em 2006.

Foto: Paulo D Agostini

Para competir com a Airbus, em especial o A321, a Boeing criou os B737-900 em 1997. Somente a Alaska Airlines havia feito encomendas de 10 unidades do modelo, entrando em operação em maio de 2001. Em 2011, a Boeing anunciou a nova geração da família MAX e a versão 737-9MAX irá substituir os B737-900.

Foto: Dennis Lau

INOVAÇÃO 

Nos tempos atuais, a fabricante apresentou o sucessor da série Next Generation, mostrando os novos e eficientes Boeing 737-MAX, com estruturas modificadas voando pela primeira vez em 29 de janeiro de 2016. O novíssimo turbofan CFM Int. LEAP-X foi lançado oficialmente em 13 de julho de 2008, produzindo uma economia de 12% em relação aos modelos anteriores. 

O mais pedido da série é o Boeing 737-8 MAX, atualmente a fabricante tem 2.732 encomendas do modelo, incluindo a GOL Linhas Aéreas. A aeronave é projetada para transportar de 175 a 200 passageiros. A Boeing está estudando novos módulos para que o 737-8 MAX produza 4% menos combustível em relação ao seu concorrente, o A320Neo, e também irá concorrer com a Bombardier C-Series.

Foto: Divulgação Boeing Company

O Boeing 737-9MAX, apresentado em 7 de março de 2017 e com expectativa de serviço em 2018, foi projetado para transportar uma média de 180 passageiros.

Foto: Divulgação Boeing Company

O Boeing 737-10MAX é o maior da série, fabricado para competir com o Airbus 321NEO e preencher a lacuna no mercado deixado pelo B757. A aeronave tem capacidade para transportar de 189 a 230 passageiros.

Foto: Divulgação Boeing Company

A Boeing planeja aumentar a produção em Renton no final deste ano para 47 jatos por mês e até 52 por mês em 2018. O 737 também transformou a economia de voos domésticos nos EUA. Os seus tempos de rotação rápidos, eficiência de combustível e capacidade de operar a partir de pequenos aeroportos produziu o conceito de transportadoras de baixo custo e trouxe viagens aéreas para as massas. Hoje, a Southwest Airlines voa uma frota de mais de 700 jatos 737.

Redação – Aeroagora

- Anúncio -
RWY
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here