RIO DE JANEIRO – Dezoito pessoas entraram com uma ação judicial contra a American Airlines, a General Electric e a Boeing, depois que o motor direito de um Boeing 767-300ER pegou fogo no Aeroporto Internacional O’Hare (ORD), em Chicago (EUA), em outubro.

Vinte pessoas tiveram ferimentos leves no último dia 28, quando o voo AA383 da American Airlines, que seguiria para Miami (MIA), teve uma falha no equipamento, que levou ao incêndio. No processo, é citado que o motor foi construído a partir de material defeituoso e que os funcionários da companhia foram negligentes durante a evacuação do avião.

LEIA TAMBÉMPeça defeituosa em motor de MD11 da FedEx pode ter relação com incêndio em voo da American Airlines

Um escritório de advocacia com sede em Genebra, na Suíça, está à frente da ação. Procuradas, a American Airlines e a Boeing não quiseram comentar. Nenhum representante da GE foi encontrado.

Redação – Aeroagora.

- Anúncio -
RWY
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here