As mulheres que marcaram a aviação

0
Barbara Harmer, primeira mulher a ser piloto de um Concorde. Foto: concordesst.com

VITÓRIA – Hoje, dia 8 de março, comemoramos uma data muito especial, que é o Dia Internacional da Mulher. Muitos de nós já ouvimos falar de mulheres famosas como a cientista Marie Curie, que foi uma das pioneiras no campo da pesquisa sobre a radioatividade e revolucionou a ciência mundial. Mas e na aviação? Será que conhecemos aquelas que deixaram suas marcas no céu?

LEIA TAMBÉMCuiabá recebe a quinta edição do Voo de Negócios e mostrará oportunidades em aeroportos

Poucos sabem dos exemplos de mulheres que quebraram barreiras e mostraram que também são tão capazes quanto os homens de poder exercer tarefas braçais ou de alta complexidade dentro da aviação. Hoje, vamos voltar no tempo e relembrar aquelas que mudaram a aviação.

Ada Rogato

Foto: C&R Editorial

É impossível falar sobre mulheres na aviação sem citar um dos maiores ícones da aviação brasileira, que fez história ao ganhar os céus pela primeira vez. Ada foi nada mais nada menos que a primeira mulher no Brasil a ter um brevê de piloto, a primeira paraquedista brasileira, e ainda, a primeira comandante brasileira de voo a vela. Suas conquistas jamais serão esquecidas. Somos honrados por termos uma figura tão importante na história do nosso país.

Neerja Bhanot
Foto: Indian Times

Voltando para as eras de ouro da aviação, mais precisamente em 1986, Neerja Bhanot fez sua história na PanAm e na aviação mundial durante o sequestro do voo 73 entre Karachi e Frankfurt. Ainda em solo, o Boeing 747-200 com 360 pessoas a bordo foi sequestrado por quatro palestinos da organização Abi Nidal, que tinham como objetivo pressionar o governo americano para que libertassem os prisioneiros da organização que estavam nos Estados Unidos.

20 pessoas foram mortas durante o sequestro, sendo elas, 12 indianos e outros oito passageiros dos Estados Unidos, México e Paquistão. Os sequestradores ordenaram que as comissárias entregassem os passaportes dos passageiros afim de identificar os que eram americanos, porém Neerja escondeu os passaportes e não os entregou para os sequestradores, dificultando assim a identificação deles.

Durante a evacuação da aeronave, Neerja corajosamente manteve-se dentro da aeronave auxiliando os passageiros a evacuarem o 747. Durante o fim do processo de evacuação, os sequestradores tentaram alcançar três crianças que ainda estavam dentro da aeronave. Neerja Bhanot protegeu elas servindo como escudo humano e infelizmente acabou sendo morta pelos sequestradores.

Foto: millenniumpost

Seu ato de bravura ao entregar sua vida para proteger outras 360 lhe rendeu as mais altas honrarias da Índia e dos Estados Unidos.

Amelia Earhart

Foto: Getty Images

Se em algum momento da sua vida você estudou algo relacionado à história da aviação, então com certeza você já ouviu falar da Amelia Earhart.

Amelia impressionou os aviadores do mundo por ser a primeira mulher do mundo a realizar um voo solo sob o oceano atlântico. A aeronave utilizada nesse feito histórico foi um Fokker F.VIIb/3m.

Foto: Dutch Aviation

Após ser a primeira mulher a cruzar o Oceano Atlântico em um avião, Amelia quis encarar outro desafio: Dar a volta ao mundo em um avião.

Infelizmente no ano de 1937, Amelia e sua aeronave desapareceram no Oceano Pacífico sem deixar rastros. Ela foi declarada morta em 1939. As causas da sua morte ainda são um mistério para os aviadores.

Apesar do fim trágico, seu estilo de vida, suas aventuras e seu desaparecimento fascinam as pessoas até hoje.

Helen Richey

Foto: Autor Desconhecido

Em 1929, Helen tirou sua primeira licença de piloto, o que já era algo incrível na época, já que as mulheres dificilmente conseguiam espaço em qualquer área profissional.

Logo após ter tirado suas licenças, a comandante Helen bateu o recorde de permanência no ar e venceu uma corrida aérea. Em 1934, foi contratada como comandante na Central Airlines, empresa que futuramente seria absorvida pela United Airlines. Seu primeiro voo comercial foi no dia 31 de dezembro daquele mesmo ano. Ela voou um Ford Trimotor na rota de Washington para Detroit.

Foto: airpowerworld

Além de ter sido a primeira comandante de linha aérea da história, Helen também foi a primeira comandante em voos de “correio aéreo” e uma das primeiras instrutoras de voo da história.

Ela foi encontrada morta dentro do seu apartamento em Nova Iorque no dia 7 de dezembro de 1947. Sua morte foi proposital, causada por uma overdose de remédios.

Ellen Church

Foto: Aero Time

Se você acha que o cargo de comissário de voo sempre foi frequentado por mulheres…bem, melhor pensar novamente.

Ellen Church foi a primeira comissária de voo da história, ambiente que, acreditem ou não, era totalmente frequentado por homens na época.

Além de comissária, Ellen também era enfermeira e piloto. O mais impressionante de tudo é que ela preenchia perfeitamente todos os requisitos mínimos para a seleção de comissários de bordo da época:  Ser formada em Enfermagem, solteira, ter menos de 25 anos, pesar menos de 52 kg, ter menos de 1,63m de altura e ainda ser capaz de cuidar do carregamento de bagagens e do abastecimento da aeronave, além de que, deveria servir de forma cordial os passageiros a bordo de seus voos.

Ellen foi uma figura tão importante para a aviação que inclusive o aeroporto da sua cidade natal em Cresco, no Iowa, foi batizado como “Aeroporto Ellen Church” em sua homenagem.

Dias atuais

EasyJet

Foto: BBC

Ainda nos dias de hoje temos comandantes que deixam sua marca na aviação, como por exemplo, a Kate McWilliams, que com apenas 26 anos é comandante da família Airbus A320 na EasyJet. Kate é considerada a comandante mais jovem do mundo a ingressar em uma empresa aérea.

Emirates

Outras duas mulheres que marcaram a história aviação mundial foram a Alia Al Muhairi e a Nevin Darwish.

Alia é considerada a co-piloto mais jovem do mundo a voar o maior avião do mundo, o Airbus A380, enquanto a Nevin toma o posto de primeira comandante mulher de um Airbus A380.

Força Aérea Brasileira

Foto: FAB

Voltando para o Brasil, nossos olhares se voltaram para a capitã da FAB, Carla Borges, que está sendo a primeira mulher da história da aviação nacional a ser piloto do avião da Presidência da República.

Com apenas 33 anos, Carla pilota o Airbus A319CJ e seu primeiro voo (Brasília – São Paulo) foi no dia 22 de dezembro de 2016 com o Presidente Michel Temer a bordo.

Foto: Aeroprints.com

Portanto, caro leitor, sempre que você entrar em uma aeronave e ver que a tripulação é composta por mulheres, lembre-se que elas marcaram a história da aviação mundial com histórias incríveis, muita bravura e coragem. Elas sem dúvidas devem ser respeitadas por todos nós.

A equipe Aeroagora deseja um feliz Dia Internacional da Mulher.

Redação – Aeroagora

 

 

RWY

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here