Companhias aéreas demitem mais de 600 mecânicos em aeroportos, diz sindicato

0
Foto: Josep Ollé

BELO HORIZONTE – Desde o inicio de 2016, as companhias aéreas vem demitindo mais de 600 mecânicos de aeronaves que realizavam seus trabalhos nos pátios, segundo o Sindicato Nacional dos Aeroviários. Em 2016, foram realizadas 550 demissões e em janeiro de 2017 foram 60 demissões.

LEIA TAMBÉMFedEx estende parceria com a USPS

A Agência Nacional de Aviação Civil afirma que “os aviões estão mais modernos e não há exigência de um mecânico para a tarefa de inspeção.” As companhias aéreas confirmam a reestruturação no quadro de funcionários e alegam que as mudanças não afetam na segurança e que também, mantém os mecânicos nos pátios.

Esses mecânicos que vistoriam os aviões antes e depois de um voo são chamados de mecânico de pátio ou mecânico de linha. Eles verificam a fuselagem os sistemas hidráulico, elétrico e pneumático, analisam as luzes e equipamentos de navegação, como superfícies de comando e asas e prevenindo riscos e danos. A retirada destes profissionais nos aeroportos gerou polêmica e uma discussão entre o sindicato, a ANAC e as companhias aéreas. O trabalho passou a ser feito por funcionários terceirizados, em alguns casos, sem formação técnica ou pelo próprio piloto.

O diretor José Ivânio Gonçalo da Silva afirma que: “Em alguns casos, um profissional sem formação em mecânica ou o despachante realiza parte das atividades. Em alguns aeroportos, empresas terceirizadas são contratadas para fazer a outra parte do serviço. E há algumas bases de algumas companhias, em aeroportos menores, até mesmo ocasiões em que o próprio piloto ou o copiloto estão fazendo parte do trabalho do mecânico, como caminhar ao redor da aeronave”.

Redação – Aeroagora

RWY

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here