Cinco pessoas morrem em acidente com Boeing 727-200F na Colômbia

4

(Atualizada à 8h57) – RIO DE JANEIRO – Um Boeing 727-200F da colombiana Aerosucre não conseguiu levantar voo do Aeroporto Germán Olano (PCR), em Puerto Carreño, leste da Colômbia e próximo da fronteira com a Venezuela, pegando fogo em seguida na noite desta terça-feira (20).

LEIA TAMBÉMEmirates inicia voo diário entre Dubai e Fort Lauderdale

A aeronave de prefixo HK-4544, fabricada em 1975 e com passagens anteriores pela Air Jamaica (como avião de passageiros) e pela Kitty Hawk Aircargo, seguiria para Bogotá (BOG) com seis pessoas a bordo. O B722 não conseguiu sair do chão e varou a pista por cerca de 5 km até se chocar contra o solo e explodir, de acordo com informações complementares da imprensa local.

“Resgatamos duas pessoas vivas. Infelizmente, uma morreu no hospital, mais três morreram no local, totalizando quatro e uma pessoa desaparecida”, disse Cesar Urueña, diretor do Socorro Nacional da Cruz Vermelha da Colômbia logo após o ocorrido.

O acidente ocorreu por volta das 21h10, horário de Brasília. Morreram o piloto Jaime Cantillo, o co-piloto Maurício Guzman, o engenheiro de voo Pedro Duarte, o despachante Felipe Vargas e o operador Nelson David Rojas. O único sobrevivente é o engenheiro de voo Diego Armando Vargas, que está internado em um hospital de Puerto Carreño. Autoridades locais foram deslocadas para o local para começarem as investigações.

Em 47 anos de existência da Aerosucre, 30 pessoas morreram em 11 acidentes. Este foi o quarto envolvendo um Boeing 727-200F da companhia cargueira.

Redação – Aeroagora.

RWY

4 COMENTÁRIOS

  1. Depois do acidente da Chapecoence, nunca mais pretendo viaja de avião. Avião é um lixo. Prefiro dormir no ônibus e passar dias viajando do que cair e virar churrasco.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here